“me-dá-um-feedback-aí”

Autoconhecimento

“me-dá-um-feedback-aí”

cereustreinamentos
Escrito por cereustreinamentos em 6 de fevereiro de 2020

Por Gislaine Amaral

O termo “feed-back” – corresponde a “realimentação” em português e foi aplicado na década de 1860, durante a Revolução Industrial, para designar o modo como a produção de energia, a quantidade de movimento ou os sinais de saída retornavam ao ponto de partida. Em dado momento depois da Segunda Guerra Mundial começou a ser utilizado em relações de trabalho, no que tangia às pessoas e seu desempenho profissional e pode ser entendido como qualquer informação que você recebe sobre si mesmo.

O feedback é um dos caminhos mais poderosos para desenvolvimento humano e minha maior motivação para escrever sobre esse tema é que sou fruto de feedbacks e aqui vale os “bons” e “ruins”. Então meu convite é que você possa cultivar uma identidade de crescimento contínuo, ampliar seus pontos cegos e desapegar das distorções. 

Durante toda a nossa vida estamos constantemente recebendo e emitindo feedback. Adoro esse trecho do livro Obrigado Pelo Feedback:

 “Antes que você me diga como fazer melhor as coisas, antes que você exponha seus grandes planos para me transformar, me consertar e me aperfeiçoar, antes que me ensine como ficar para cima e como dar a volta por cima para ser brilhante e bem-sucedido, quero que você saiba de uma coisa: já ouvi tudo isso antes…já fui qualificado, comparado e classificado, orientado, examinado e avaliado. Já fiquei em primeiro, já fiquei em último, já fiquei de fora…e tudo isso no jardim de infância”.

Por que resistimos ao feedback?

As principais dificuldades em receber um feedback, de acordo Moscovici (1985) é a preocupação em manter a autoimagem para si mesmo e para os outros, junto com o receio do que os outros possam pensar a seu respeito. Outra dificuldade se refere ao sentimento de que a pessoa não vê necessidade de mudança de comportamento e menos ainda, que outro venha lhe dizer no quê deve melhorar.

Cultive uma identidade de crescimento contínuo

Uma pesquisa realizada em Stanford revela que há duas maneiras bem diferentes de entender a própria identidade e depende delas o modo como reagimos à crítica, às dificuldades e ao fracasso. A primeira delas admite que nossas características são “fixas”: se somos competentes ou inoperantes, receptivos ou arredios, inteligentes ou ignorantes, nós não vamos mudar – somos o que somos- e o feedback revela portanto, como somos. Os que lidam com o feedback de modo mais frutífero têm uma identidade cujo núcleo se baseia em outro princípio. Essas pessoas se enxergam como se estivessem sempre evoluindo, em constante crescimento. Elas têm o que se chama de “identidade de crescimento”. O que elas são agora é simplesmente isto: o que elas são agora . É um esboço a lápis de um momento. Para uma identidade de crescimento, o feedback é informação útil sobre em que ponto estamos agora e sobre aonde queremos chegar. Toda opinião é bem-vinda e não um veredicto preocupante.

Um precioso passo para que você se beneficie com a prática do feedback é identificar, compreender e separar: reconhecimento, orientação ou avaliação.

Tipos de Feebback:

TIPO DE FEEDBACKOBJETIVO
ReconhecimentoReconhecer, conectar, motivar, agradecer
OrientaçãoAjuda a aumentar conhecimento, técnicas, qualificação, crescimento ou despertar suscetibilidades no relacionamento.
AvaliaçãoInforma sobre a situação, alinha expectativas e subsidia a tomada de decisão

Precisamos das três formas, mas muitas vezes os objetivos do emissor e receptor se desencontram.

Separar o que de quem:

É muito comum misturarmos as informações e focarmos em quem está emitindo o feedback e bloquear a informação na essência , então é necessário escutar atentamente a informação e focar na mensagem e não apenas em quem está emitindo. É complexo, mas essa dica nos poupa de muitos desgastes e para escapar disso é necessários separar o feedback dos problemas de relacionamento, observando a questão com clareza e separadamente, caso contrário é como querer misturar sorvete com legumes e levar ao forno, não interessa o tempo que fique assando o resultado vai ser sempre uma gororoba intragável.

Receba bem o feedback:

Não quer dizer que você tenha sempre de aceitá-lo. Significa envolver-se na conversa com presença, habilidade e maturidade, fazendo escolhas conscientes sobre se vai usar as informações, vai descartá-las ou o que você poderá aprender com isso.

Sinta-se à vontade para entrar em contato, deixar um comentário!

Tudo começa com uma conversa! 

Gratidão!!!

Referência: Obrigado pelo Feedback: a ciência e a arte de receber bem o retorno de chefes, colegas, familiares e amigos/ Douglas Stone e Sheila Heen.

Olá,

O que você achou deste conteúdo? Conte nos comentários.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.